Provocação vascaína teve pó rosa e sabotagem

As discussões nas redes sociais e o duelo quente dentro do Maracanã foram as partes mais visíveis de uma rivalidade entre Vasco e Fluminense, que promete se intensificar nos próximos jogos. Em campo, deu Gigante da Colina: 2 a 1. Mas já na madrugada antes do clássico deste domingo que os vascaínos trataram de responder as provocações.

Primeiro, um muro próximo ao lado Sul do Maracanã, mais conhecido como o lado direito das cabines de rádio e TV do estádio, e que fora pintado com as cores do Fluminense e a inscrição “1902 – Nós somos a história, é o destino” foi manchado de tinta branca. A ação teria sido obra de vascaínos.

A “demarcação de território” pelos tricolores foi parte da rixa por conta da parte ocupada pelas torcidas tradicionalmente no Maracanã. Por ser o primeiro campeão do estádio, o Vasco teve o direito de escolher, e ficou com o lado direito. Em 2013, ao assinar com o Consórcio Maracanã para usar a arena, o Flu escolheu a parte que era dos vascaínos, e a polêmica se instalou.

Em outra ação de vascaínos, um grupo espalhou na rua Eurico Rabello, uma das vias que circunda o Maracanã, pó rosa e letras “C” de papel, em referência à queda do Fluminense para a Série C em 1998.

O rebaixamento também foi lembrado durante o jogo, com uma faixa com os dizeres “Libertadores 100%/Série C 1998”, utilizando a porcentagem, também utilizada pelos tricolores em provocação ao Vasco, pela contratação de Ronaldinho Gaúcho.

Fonte: Band.com.br

Anúncios